. Login Register
One Piece RPG

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

[Role-play] Saindo de uma vida pacata;

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

16 Re: [Role-play] Saindo de uma vida pacata; em Sex Out 02, 2015 8:24 pm

#006 - Explosão.


A abordagem era feita de maneira tranquila, ainda mais que o esperado. Sem nem mesmo reagir, o bêbado fora nocauteado sem saber o que lhe atingiu, praticamente. Embora sob efeitos da bebida, era de se esperar algum desafio maior para o aspirante a caçador, que embora conhecedor de vários estilos de combates e suas variações, nunca teve experiências reais, a não ser treinamentos. Estava contente com seu sucesso, mas sua preocupação com o que estava por vir era enorme: e esta preocupação tinha razão, porque naquele mesmo instante, algo inesperado acontecia.

Seu coração disparava como louco. Nunca que em toda sua vida a morte esteve tão próxima de Jackson como estava naquele momento. Uma pistola estava apontada para si, no que parecia ser na altura do peito. A única coisa que evitava daquele gatilho ser apertado e a bala perfurá-lo era que ao mesmo tempo que estava sob a mira daquele homem, o homem também estava sob sua mira. Era um levantar uma ação suspeita que logo ambos trocariam tiros e possivelmente cairiam mortos ao chão.

O pior para Jax não era estar correndo perigo, mas sim o seu irmão estar correndo tanto perigo quando ele. O seu oponente estava acompanhado, e da maneira que virava para o lado - direção de onde Jax veio, caminhando do bar - estava óbvio que era para deter alguma ameaça. Sua visão estava limitada pelas paredes do beco, que embora nada estreito, não era o suficiente para ter uma ampla visão. Aquilo causava pânico, um medo que não sabia explicar. Embora não quisesse demonstrar, não conseguia, sendo perceptível simplesmente no modo que passara a soar. Seu oponente estaria pensando que talvez era até mesmo o medo da morte.

- Hey, hey, hey. O que vai ganhar matando alguém sem valor como eu? - sua fala saia falhada. Não conseguia formar as palavras de maneira correta, e embora seu objetivo fosse atrapalhar o oponente psicologicamente, estava demasiado atrapalhado em seu próprio consciente. Tentava se recuperar, mas nada adiantava. Sua única ação consciente que pudera fazer naquela situação era de arrumar a posição de seus pés, para melhor arrancar, mas depois daquilo...

Explodiu! Agindo quase que de forma inconsciente, sem pensar nas consequências, largou sua pistola e partiu para cima de seu oponente. Era claro que não era estúpido o suficiente para correr em linha reta, mesmo sofre grandes efeitos psicológicos, iniciando uma grande corrida diagonal que quicava de parede para parede - as usando para mudar seu rumo bruscamente, já que o espaço mesmo sendo grande, não permitia curvas abertas - numa velocidade que atingia incríveis quarenta e nove metros por segundo.

Se Jackson Teller tinha algo a se orgulhar, era sua velocidade. Caso este fosse seu desejo, teria chance de se tornar um famoso velocista. Nunca houve treinos para isso, seu corpo simplesmente parecia uma máquina com uma aerodinâmica formidável. Seria mais do que o necessário para que o homem não pudesse acompanhá-lo com sua mira, talvez nem mesmo com os olhos. E aquela explosão seria o suficiente para avançar antes mesmo que os tiros fossem disparados, talvez até mesmo sendo disparados atrasados e cortando o vento.

Não tendo uma força tão formidável quanto a velocidade, usaria o que tinha a seu favor quando estivesse próximo o suficiente de seu alvo, caso conseguisse fazer tal proeza sã e salvo. Com toda aquela velocidade, fecharia o punho de sua mão direita e com ele fechado, tentaria atingir de uma forma impactante a testa do alvo. Não só causar impacto ao acertá-lo, como empurrar sua cabeça para baixo de uma maneira brusca, tentando derrubar o cara na mesma hora, com sua cabeça se chocando contra o chão da maneira mais agressiva possível.

Talvez teria sucesso, talvez não. Não sabia as habilidades que o seu oponente tinha, mas estava confiante de seu sucesso - mesmo que apenas nos momentos que pôde raciocinar com total clareza. Independente do fim que aquilo teria, com seu alvo ainda consciente ou não, se viraria para a direita, onde supostamente estaria o segundo homem e seu irmão mais novo. Pouco se importava para sua guarda baixa, apenas se importava em saber a situação atual de seu irmão, e o resto seria resolvido depois.

Status - Jackson Teller
HP: 200/200
Stamina: 190/200

Ver perfil do usuário

17 Re: [Role-play] Saindo de uma vida pacata; em Seg Out 05, 2015 10:55 pm

#Ataque de leve

Graças a uma falha própria, Miles acabou que se dando mal. Emitia um ruído, alto o suficiente para que os homens parassem de dar atenção para seu irmão mais velho por um pequeno instante e olhar para si. Quando Miles observou um deles virando para si, simplesmente tentou antecipar a ação inimiga e se jogou para o lado, tentando rolar pelo chão, com cuidado já que estava manipulando sua espada. A antecipação se dava porque era do conhecimento de Miles o homem armado, com uma pistola que já estava carregada e pronta para atirar. Não queria se manter num trajeto reto, ficando vulnerável  contra disparos que poderiam ser fatais, ainda mas naquela distância.

Ficando fora da reta do homem, era de se esperar que ele pudesse procurar novamente uma mira, então contou que a sua mudança súbita no trajeto acabasse por atrasá-lo um pouco, e quando se recompôs de pé, começou a correr em sua velocidade máxima mas movimentando-se para os lados, como se estivesse pulando de um canto para o outro, ao invés de simplesmente correndo para o seu inimigo, também alternando o lado para onde pulava - direito ou esquerdo - não mantendo uma ordem.

Esperaria se aproximar sem nenhuma dificuldade, então aproveitaria um daqueles saltos para impulsionar-se de uma maneira surpresa para cima do homem, com apenas a ponta da lâmina virada ao homem, de modo que pudesse ser usada para perfurar, e não para cortar. Sua intenção era de usar todo o impulso para fincar a espada na região do tórax do oponente. Caso o golpe passasse no ar, acompanharia o oponente com a lâmina: se desviado para trás, se impulsionaria novamente e tentaria outro corte, e se desviado para os lados, abandonaria a perfuração e tentaria um corte.

Ao final de suas ações - ou tentativas delas - tentaria se reposicionar no local de uma forma que pudesse abranger todo o campo de ação, no objetivo de ficar ciente de tudo aquilo que acontecia. Se preocupava com a condição de seu irmão, e sentia-se desconfortável sem saber o que acontecia. Mas o importante é que acreditava no enorme potencial de Jackson, e sabia que ele superaria qualquer problema.

Se lembrava também de que precisava voltar para sua casa. Seu motivo, no momento, não seria explicado nem para seu irmão mais velho, que só seria alertado de que ele precisava fazer aquilo. O local de reencontro seria no porto, mas apenas no dia seguinte. Miles teria que, por hora, abandonar a aventura.

Miles Teller
HP: 220
Stamina: 280

Ver perfil do usuário

18 Re: [Role-play] Saindo de uma vida pacata; em Ter Out 06, 2015 10:02 am

Gol D. Roger

avatar
Game Master (GM)
Game Master (GM)


A balburdia no beco explodiu. Mesmo ferido por uma bala que rasgara a pele um pouco acima do ombro - um ferimento superficial, sem grande gravidade - Jax encontrava-se faminto por caos. Mesmo tomado por um distinto pavor frente a real ameaça a sua vida e a vida de seu irmão caçula, de alguma forma, ele encontrou o guerreiro que vivia dentro de si.

Impulsionado por uma onda de ódio e de, talvez, até mesmo medo, o rapaz simplesmente saltou para uma das paredes. Aquilo pegou seu oponente completamente desprevenido; o homem que já se julgava vencedor daquele impasse, por conta do aparente abalo psicológico do Teller mais velho, deparava-se agora com uma repentina mudança de conduta, de um homem que subitamente saía de sua mira. Seu mísero instante de desatenção o impediu de balear o aspirante a caçador por centímetros. Sua mão não conseguiu fazer com que a mira acompanhasse Jakson.

Ele bem que tentou. Chegou até mesmo a dar um disparo em pleno vento, enquanto o jovem zigue-zagueava de parede em parede. Mas de nada aquilo lhe serviu. Como que de repente, um potente soco vindo de cima para baixo do atingiu na testa, escorregando por ela e esmagando seu nariz. Embora a pancada não tenha tido força suficiente para jogá-lo ao chão, o empurrou bons passos para trás, atordoado com o que acabara de acontecer.

Ao mesmo tempo, seu companheiro era rasgado pela espada do Teller mais velho, caindo em uma poça de seu próprio sangue. Estranhamente, o garoto deixou o local logo em seguida, correndo às pressas de volta a casa. Aquilo provavelmente assustaria Jax, que quando se virara para procurar Miles, apenas vira o segundo bandido caindo, enquanto o irmão corria rua acima novamente.

Mas seu adversário ainda não estava derrotado, e o momento de desatenção de Jakson foi tempo bastante para que o outro agisse. Sem se preocupar em recarregar a pistola, o homem simplesmente plantou um chute com a sola do pé contra as costelas do garoto, arremessando-o contra uma das paredes do beco...

Aquela luta ainda perduraria até terminar.

=======

Miles Teller removido da aventura por motivos de falha em seu teclado e falta de tempo para postar. Gratificação: 50 pontos de experiência, por ter participado de boa parte


Resultados para Jakson
- 10 HP por conta do tiro de raspão não evitado no post anterior.
-20 de HP pelo chute em suas costelas enquanto a guarda estava aberta.

Ver perfil do usuário http://onepiecestories.forumeiros.com

19 Re: [Role-play] Saindo de uma vida pacata; em Ter Out 06, 2015 2:46 pm

#007 - Desaparecimento;


Uma ação totalmente inesperada do próprio Jax, sem quase nenhum fundamento estratégico e realizada por puro instinto fora capaz de mantê-lo seguro de dois disparos, que passavam rasgando o vento numa velocidade tão alta que mal podiam ser vistos, se chocando contra a parede que indicava o final do beco. Era por ter aqueles disparos tão mortíferos e poderosos que Jackson queria ter uma pistola consigo, mas ver uma sendo usada contra si era algo que incitava um sentimento de medo. Se tivesse avançado para seu oponente de uma forma totalmente consciente, na mira de uma arma e preocupado com seu irmão, não conseguiria nem completar sua ação.

O golpe não tivera o efeito desejado. Era para acertá-lo de cima para baixo, forçando-o para baixo e fazendo com que sua cabeça se chocasse contra o chão, mas a única coisa que ali acontecia era que ele recuava alguns passos para trás para conseguir manter o seu equilíbrio, ou realmente cairia. O homem estava de certa forma um pouco atordoado, mas visivelmente ainda serviria para dar trabalho para Jax. E realmente, acabou dando.

Num rápido momento, Jax fitou seu irmão e a única coisa que podia ver era ele correndo. Fora também neste momento que pôde redobrar a sua plena consciência, ficando um tanto confuso quanto o que estava acontecendo ali. Se sentiu mais confortável vendo Miles em segurança, e por mais que aquela sua ação era no mínimo bizarra, sabia que ele não corria perigo de vida como anteriormente. Até mesmo se orgulhava vendo aquele corpo ao chão numa enorme poça de sangue, que saía da região do tórax, onde se encontrava um enorme furo. Sabia que era seu irmão o responsável por aquilo, e vê-lo saber se virar era algo prazeroso.

O único problema era que, naquele seu momento de distração, acabava levando um chute nas costas. Era forte o suficiente para que fosse jogado para uma das paredes do beco, e se não tivesse usado a palma de suas duas mãos para reduzir um possível impacto, que lhe prejudicaria ainda mais. Ele sentia na região atingida uma certa dor, e esperava terminar aquilo logo para que isto não o incomodasse mais. Era uma pena que seu irmão já não estava ali, porque como médico, ele daria um jeito naquilo rapidinho.

Não esperou nem um instante sequer, e empurrou seu corpo contra a parede com o auxílio das mãos, rodando seu corpo e partindo de volta para o seu inimigo. Sua velocidade não estaria tão alta como antes, porque naquela curta distância que tinha que percorrer, queria fazer um percurso em velocidade média. Tudo porque ao chegar perto o suficiente, caso conseguisse, usaria sua velocidade máxima para tentar uma sequência de três socos no peito de seu adversário, atacando de esquerda, esquerda e direita, para tentar finalizar.

- Tive meu momento de fraqueza, mas esta luta... É minha!

Status - Jackson Teller
HP: 170/200
Stamina: 180/200

Ver perfil do usuário

20 Re: [Role-play] Saindo de uma vida pacata; em Qua Out 07, 2015 7:58 am

Gol D. Roger

avatar
Game Master (GM)
Game Master (GM)


O combate seguia em ritmo atroz no interior do beco. Uma luta que já começava a chamar a atenção por si só enquanto a manhã terminava. Ao longe, vindos das ruas e até mesmo alguns do Linha & Anzol, curiosos se assustavam com a cena de dois homens caídos, um na poça de seu próprio sangue, e outros dois contendentes ainda em uma luta. Jax fora atordoado pelo chute em suas costas.

A dor talvez tenha-o deixado confuso, de modo que seu ataque seguinte fora, no mínimo, previsível. Mas seu adversário também encontrava-se eu maus lençóis. Se o Teller havia aberto sua guarda por pura confusão ao notar que o irmão havia deixado o campo de batalha, tal não foi a surpresa quando o homem que tentava tirar sua vida a ponta-pés - literalmente - enxergava o companheiro moribundo ao chão, murmurando e gemendo em seus últimos momentos enquanto continuava a aumentar a mancha vermelha no chão de Shells Town.

Aquele pequeno segundo de espanto lhe rendeu um impacto fulminante no peito. O atordoamento por ter sido tão repentinamente golpeado por um homem que ele recém havia enviado a parede com um soco era assustador. Um segundo impacto, imediatamente após o primeiro abalaria ainda mais seu equilíbrio, enchendo-o de dor e nublando sua visão. Apenas um reflexo milagroso o permitiu bloquear o terceiro golpe, aparando-o com uma das mãos e reduzindo seu impacto. Talvez Jakson pudesse ter se saído melhor com uma sequência menos óbvia de movimentos.

Mas aquilo fora o bastante para, pelo menos, impedir seu adversário de revidar imediatamente. O homem cambaleou alguns passos para trás, respirando de forma ofegante e rasgada por fortes haustos enquanto tentava achar o ar em seu peito machucado.

- Heheh... A batalha pode ser sua, rapaz. Mas a guerra será minha...

Enquanto ofegava estas palavras, apoiado na parede oposta do beco, Jax pode ver, descendo a rua, um grande grupo de outras pessoas vindas da taverna. Eram uma composição de homens que ele julgara ser trabalhadores do porto e alguns dos ocupantes do balcão. A frente deles, um rapaz que o garoto lembrava de ter cruzado por na rua, enquanto perseguia o homem bêbado de quem roubara a pistola, e a quem não tivera dado grande importância.

Agora, ao que parecia, um bando inteiro de homens armados e ensandecidos pela bebida descia na direção do beco, tendo uma clara visão da silhueta dos dois homens que lutavam, emoldurada contra sua entrada. O garoto tinha duas opções: Esperar por ali, e lutar onde o espaço poderia, talvez, lhe ser favorável. Ou correr pelo único caminho que lhe restara não bloqueado pelos atacantes: A direção do porto.

Ver perfil do usuário http://onepiecestories.forumeiros.com

21 Re: [Role-play] Saindo de uma vida pacata; em Qua Out 07, 2015 6:02 pm

#008 - Partiu.

Sua combinação de golpes não era suficiente para derrubar, por uma segunda vez, o homem com quem lutara. Era uma sequência um tanto óbvia, e no terceiro golpe, o suposto pirata pôde prevê-lo e defendê-lo. Felizmente ele não estava em perfeito estado para revidar, já que um contra-ataque poderia ser um grande perigo para Jackson, que aproveitou o momento e se apoiou novamente naquela parede que havia sido jogado anteriormente, porque pretendia usar ela como impulso para sua nova investida. Mas mesmo que a situação estivesse agradável, uma reviravolta ocorria.

Vendo descer a rua - agora não deixando a sua guarda de lado, preparado para golpes futuros - estava um bando de homens, provavelmente uma tripulação, e podia lembrar de alguns rostos. Todos estavam ali no bar, o que significa um mal sinal. Se deu conta de que a situação havia ficado péssima para seu lado quando o homem com quem lutava respondia-o de maneira provocativa, e se arrependeu de ter dito aquilo. Agradecia que seu irmão já não estava mais ali presente, e parou para pensar em suas possibilidades.

Era como se o tempo tivesse congelado. No consciente de Jax, uma imagem de sua situação atual se formava: a arma que tanto quisera roubar ainda estava no beco, que não tinha nenhuma rota de fuga, como a possibilidade de subir e escapar por telhados. Foi ai que se lembrou do segundo homem armado, do qual Miles havia dado conta. Ele também portava uma arma de fogo, que havia próximo de si, já que a arma havia caído provavelmente quando Miles o atingiu. Descendo a rua de maneira feroz, algo que julgava ser uma tripulação, mas independente do que fosse, era número de mais para que Jax pudesse deter. E eles eram responsáveis por bloquear uma das possíveis rotas de fuga, restando então, apenas o porto.

Se impulsionaria para a direção da arma, virando seus pés de lado para tentar arrasta-los por uma distância curta, enquanto flexionava seus joelhos para que pudesse alcançar a arma de fogo ali no chão. Cogitou a possibilidade de apanhar a que estava no beco, mas só de ouvir aquela pequena multidão descendo, rapidamente mudava de ideia. Caso com a arma em mãos, arriscaria que ela ainda teria mais uma bala em seu pente e tentaria de forma rápida e precisa disparar no homem com quem lutava, na intenção de tirá-lo de seu caminho, não sendo nada legal ter um obstáculo. Caso atingisse, ótimo, caso não, fazer o que?

"Um dia eu ainda me vingarei de vocês" - pensava enquanto tentava lembrar de cada rosto, e saía em disparada pelo seu único caminho de fuga, em sua velocidade máxima de quarenta e nove metros por segundo, rápido o suficiente para que ninguém o alcançasse. Em todo caso, evitaria correr em linha reta e muito menos por uma única rua, buscando entrar em curvas o quanto antes, para poder sumir da visão daqueles homens. Tinha em mente que eles o seguiriam, mas não era bom ficar propenso a algumas balas no meio da cuca.

Seu único objetivo se tornava ir para o porto. Lá, procuraria alguma embarcação que estivesse livre. Usaria quem estivesse de passagem no local para se esconder, se misturando diante da multidão enquanto ela ainda estivesse presente, já que o homem ousaria procurar em áreas mais isoladas, onde normalmente estavam as embarcações piratas. Seu foco era encontrar a embarcação, especificamente, daqueles que o seguiam. Era a maneira mais fácil que pensava de sacanear aqueles que o seguiam, e mais provável de sair ileso, já que em mar, ninguém o buscaria. Seu irmão, bem... Ainda se encontrariam. Miles sabia perfeitamente qual eram os planos que Jax tinha para explorar o East Blue, e estaria ciente de para onde o aspirante a caçador iria.

Status - Jackson Teller
HP: 170/200
Stamina: 170/200

Ver perfil do usuário

22 Re: [Role-play] Saindo de uma vida pacata; em Qui Out 08, 2015 1:25 pm

Gol D. Roger

avatar
Game Master (GM)
Game Master (GM)


Um novo disparo foi efetuado. Era um dia bem movimentado em Shells Town, não demoraria par que marinheiros se juntassem a perseguição. Três corpos jaziam no beco. Um desacordado, um morto, e outro ferido com uma bala no ventre - o disparo de Jax não saíra com a melhor das qualidades, por conta de sua pressa e pouca perícia com a arma.

O garoto correu pelas ruas e becos da cidade em debandada. Podia escutar ao longe os sons dos homens que o perseguiam. Mesmo que não fossem capazes de alcançá-lo, não o haviam perdido totalmente de vista, tendo dividido o grupo para seguir por todas as ruas que levariam ao cais do porto. No entanto, devido a velocidade prodigiosa do jovem, nenhum disparo chegou a ser efetuado, pois era absolutamente impossível fazer mira sem perder o Teller de vista.

Não foram precisos mais do que dois minutos de correria para que ele se aproximasse do cais onde uma embarcação suspeita estava atracada. Consideravelmente distante das demais, uma estranha caravela balançava nas ondas. Sua figura de proa era recortada no formato de um coração - e não apenas ela, toda a embarcação parecia ter o mesmo formato romântico. Provavelmente, não pertencia ao bando que o perseguia, mas seus donos também aparentavam tê-la deixado desprotegida. No que dizia respeito a outros navios, todos estavam bastante bem guardados, com mais de um homem visível no convés. Esta embarcação, apenas uma pessoa encontrava-se deitada numa espreguiçadeira, aparentemente dormindo a sono pesado...

======

Imagem do Navio

Ver perfil do usuário http://onepiecestories.forumeiros.com

23 Re: [Role-play] Saindo de uma vida pacata; em Qui Out 08, 2015 11:02 pm

#009 - Mar, querido mar.

Jackson tentou e tentou procurar algum navio de aparência mais decente do que aquela, mas na hora da adrenalina e pressa, acabou tendo que aceitar. O navio no qual agora estava tentando entrar com passos silenciosos possuía o estúpido formato de um coração, algo que não alegrava muito o rapaz. E não era só isso, uma vez que o navio rosa estampava corações vermelhos em seu casco, e na única vela da caravela. Pensou no seu enorme gasto em tintas, caso quisesse tomar posse daquela embarcação para si, porque não aguentaria aquela decoração, no mínimo, ridícula. Na parte traseira do convés, tinha até uma mesa com algumas cadeiras que possivelmente era destinada a "hora do chá".

"Isto é uma embarcação de feministas que buscam igualdade ao mar, ou de alguns okamas bem exibidos" - pensava consigo mesmo, olhando escorado no corrimão o porto, certificando-se de que ninguém fora capaz de persegui-lo até ali. Estava feliz por estar finalmente sozinho, ou era ao menos o que estava imaginando...

Se dirigia até a sala de comando da embarcação, quando notava um ronco vindo de um dos cômodos da embarcação. Por instinto, entrava numa posição de combate e olhava para os lados de uma maneira aparentemente desesperada, mas se deu conta de que mais ninguém estava ali, e se estivesse, estaria num sono tão profundo quanto o responsável pelos roncos. Pensou em dar fim aquele sujeito, mas estava ciente que ainda corria risco de ser descoberto, porque da mesma forma que ele havia achado a embarcação, muitos outros também poderiam achar. Rapidamente, ergueu a âncora e usou seu conhecimento básico de navegação para levar o navio rumo o mar, na direção da ilha que desejava explorar - anteriormente, já havia ficado ciente a sua localização.

Quando pudesse ter certeza de que estaria seguro, ao menos de ameaças que vinham de fora do navio, buscou explorar a embarcação que agora, já chamava de sua. Através dos roncos, sabia qual a sala utilizada para o cochilo, e queria ter certeza de que nenhum outro tripulante lhe surpreenderia, assim que desejasse fazer algo a respeito do sujeito. O que aquele barco teria de útil, o que ele estocava, e até mesmo fazendo alguma pausa para o lanche, se possível, para recuperar sua energia gasta durante o tempo passo na ilha. A julgar pelo sol, já fazia um belo tempo que havia saído de sua casa, e a fome começava a se pronunciar. Só ai, então, que iria para o dormitório e veria o que teria que encarar...
Status - Jackson Teller
HP: 170/200
Stamina: 170/200

Ver perfil do usuário

24 Re: [Role-play] Saindo de uma vida pacata; em Sex Out 09, 2015 11:22 am

Gol D. Roger

avatar
Game Master (GM)
Game Master (GM)


Finalmente o jovem terminava sua corrida desesperada. Havia deixado seus perseguidores suficientemente para trás, e encontrava-se agora possuidor de uma caravela, no mínimo, singular. Fez dela o melhor uso que pode, correndo para livrá-la das amarras que a prendiam ao cais e erguer âncora para singrar os mares na direção de onde quer que fosse, enfunando a vela um tanto quanto espalhafatosa com um bom vento favorável.

Zarpou antes que seus perseguidores alcançassem o porto, sendo muito feliz nisto, pois agora não saberiam em que navio o rapaz havia embarcado. Mas, como esperado, havia alguém protegendo a embarcação... Ou, pelo menos, quem deveria estar fazendo isto. Deitada, numa espreguiçadeira no porão do navio, uma esbelta madame roncava prodigiosamente. Aparentemente julgara que seria seguro o porto de uma ilha como aquela, onde até mesmo um quartel da marinha se encontrava, estando plenamente relaxada.

Era ela uma bela garota de cabelos e vestes rosas. Usando um óculos que lhe escapara da face e estava equilibrado de alguma forma estranha na ponta de seu nariz, tremendo perigosamente a cada ronco. Era uma mulher realmente linda, aparentando ter alguma coisa entre dezessete e vinte e um anos, não sabendo Jax ao certo quanto de idade precisar. Próximo dela, naquele mesmo porão, algumas caixas continham alimentos não perecíveis, que poderiam ser preparados na cozinha...

======

Imagem da Garota

Este Role Play está finalizado. Sua aventura seguirá no próximo Role Play e deverá conter um link fazendo referência a este, começar exatamente no ponto em que este parou e ter o mesmo título deste tópico (exceto por um índice "2"- caso não tenha lido isto nas regras de postagem.

Status do Playr:
Dano de 30 pontos no HP, ainda não regenerados. - 30 pontos em Stamina devido a turnos de luta.

Este [Role Play] foi finalizado. Não houveram refeições feitas neste [Role Play] - A 1 [Role Play] sem comer. - Recompensas serão dadas no final da aventura.

Ver perfil do usuário http://onepiecestories.forumeiros.com

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum